Mahe

Pretty

Harriet

Follow GypsyMVP on Twitter
Follow GypsyMVP
on Twitter


GypsyMVP on Facebook


 

As pessoas maravilhosas no nosso Rancho Magnolia em Katy, no Texas

Jennifer Wilkening

Jennifer é a Directora de operações do Rancho Magnolia e é Vice-Presidente de Vendas e Comercialização para a Gypsy MVP. E ainda completa as suas tarefas como treinadora principal de todos os cavalos da Gypsy MVP nos Estados Unidos. O trabalho dela é garantir que os cavalos são obedientes à mão e com sela, para montar em ringues e em trilhos ou qualquer disciplina para que um comprador queira que o cavalo esteja treinado.

Todos os cavalos MVP com que a Jennifer treina trabalha com reboques, tosquias, levanta as patas, amarras e tem maneiras impecáveis quando deixa o rancho. Ela não irá entregar as "chaves" de um cavalo a um novo comprador a não ser que saiba que eles conseguem lidar com o cavalo. Ela trabalha directamente com compradores de cavalos MVP para garantir que cavalo e donos são compatíveis e não irá permitir que nenhum cavalo MVP vá para alguém que ela não aprove.

Às vezes a Jennifer sente que um cavalo não é apropriado para uma pessoa ou família. Quando isto acontece, ela trabalha bastante com o Doug Kneis e a Anne Bevan, a sua correspondente do RU, para encontrar um cavalo que seja aquilo que ela chama "a combinação perfeita". Jennifer nunca encontrou um cavalo que não conseguisse treinar ou um cavalo de que não gostasse. Ela vê potencial em todos os cavalos e transmite a cada novo cavalo confiança e lealdade. Jennifer Wilkening é uma profissional e um bem para a Equipa MVP.


 

DoDoug Kneisug Kneis

O Doug Kneis é amante equino para toda a vida e tem-no sido desde a infância. A sua paixão começou aos seis anos de idade, com um quarto cheio de cavalos de plástico em prateleiras misturadas com soldados do exército, tanques, canhões e automóveis de motores envenenados. A mulher do Doug, com a sua insistência, convenceu o Doug a voltar aos cavalos em 1999. O Doug iniciou a Gypsy MVP em 2001 depois de ser proprietário dos seus dois primeiros cavalos da raça quando só existiam vinte nos Estados Unidos.

O Doug foi um membro do quadro fundador da Sociedade Equina do Gypsy Vanner.

A Gypsy MVP esforça-se para lidar com todas as situações com extrema compaixão e incentivo para agradar.


Anne BevanAnne Bevan

Por Doug Kneis: "Eu conheci a Anne Bevan através de uma cassete de vídeo que recebi de um amigo. Ela era tão engraçada e verdadeira para mim. Tinha um dilema entre mãos. Anne conhecia um senhor cigano chamado Joe que tinha sido amigo da família dela durante anos. Ela tinha crescido com os ciganos e brincado com as suas crianças e cavalos desde que era pequena. O Joe tinha um garanhão, o Dazzle. Este cavalo era a inveja de muitas outras famílias Romany que criavam tipos Vanner. O Joe apercebeu-se de que a sua saúde estava a faltar. Sabendo que tinha havido sempre alguém a tentar roubar-lhe o seu garanhão, ele decidiu que a melhor coisa seria deixar o Dazzle com alguém em quem confiava. Essa pessoa era Anne Bevan.

Vi um vídeo da Anne Bevan que apoiava a câmara de filmar, uma antiga, em cima de uma almofada no seu quarto em Inglaterra. O seu pedido de ajuda foi o início do nosso relacionamento. "Por favor", disse ela, "levem este garanhão para a América antes que caia nas mãos erradas aqui."

Anne BevanHoje a Anne é a Presidente da Gypsy MVP no RU. O que é que isso significa? Significa que esta maravilhosa senhora possui os ideais da nossa visão: o cavalo vem sempre primeiro, não as pessoas que o querem. Ensinou todo o pessoal da Gypsy MVP porque fazemos o que fazemos. A Anne possui uma opinião de honestidade visceral em tudo. Ela é honesta quer você goste da opinião dela ou não!

A Anne passou a sua vida com cavalos e com famílias ciganas que viviam mesmo ao lado. É de confiança não só para nós e para as famílias ciganas mas para toda a gente que encontra. A Anne também cria cavalos Árabes de linhagem Campeã Mundial e compete com grande sucesso ao nível Nacional e Internacional com os seus cavalos.

A Anne Bevan, o seu marido Simon e a sua filha Charlotte têm uma missão de vida. Eles querem que as pessoas nos Estados Unidos saibam que eles estão lá para olhar por vocês e pelos vossos melhores interesses. Mas mais uma vez o cavalo vem primeiro. Eles nunca o deixarão comprar um cavalo que não seja apropriado para si ou para a sua família. A Anne vai simplesmente dizer que "Não" se o cavalo não é perfeitamente compatível. A Anne, o Simon e a Charlotte Bevan são membros perpétuos da Sociedade Equina Americana do Gypsy Vanner e a sua missão é tentar salvaguardar toda a gente nos Estados Unidos de fazer uma má aquisição.


 

 

 


 

Experiência na Aquisição de Cavalos em Appleby, na InglaterraAppleby

Appleby parece o que uma aldeia inglesa medieval deve ser. O Rio Eden rodopia através de um vale verde e um castelo Normando mantém guarda sob esta adormecida e antiga cidade. Mas estamos em Junho e a paz e sossego foi substituída pelo som das batidas de cascos, pelo ranger de carroças e pela cacofonia de vozes gritando em todas as línguas imagináveis. Crianças fazem corridas de cavalos no fundo das ruas. Carroças de topos arqueados coloridos alinham-se pelas ruas acima até à colina do leilão.

No meio disto tudo está um homem de meia idade, rijo, um homem do petróleo de Texas. O Doug Kneis está em Appleby para assistir à feira equina de trezentos anos. O Doug vai comprar mas está cuidadosamente a tentar não deixar que nenhum dos vendedores o saiba. Os Ciganos na vila hoje são viajantes Irlandeses e Escoceses ou de origem Húngara ou Eslovaca. Podem chamar-se Preto Holandês, Rom ou Romnichels mas para o resto do mundo eles são simplesmente Ciganos, pessoas nómadas, temidas e desprezadas por alguns.

Esta é a famosa Feira Equina Cigana de Appleby e ciganos de toda a Europa estão aqui com os seus belos cavalos. Mais largamente conhecidos como Gypsy Cobs ou Tinkers, e criados inicialmente para puxar as ricamente decoradas e ornamentadas carroças ciganas de topo arqueado, a Gypsy Vanner representava o melhor de um programa de meio século de criação destes cavalos... um "verdadeiro Vanner" como dirão os Ciganos quando descrevem os cavalos de melhor raça, aptos para puxar camiões que os Ciganos chamam de "casa".

Os cavalos são animais espantosamente belos que são espertos e amigáveis. Sem dúvida, uma das primeiras pessoas a introduzir a raça na América anunciou-os como "Um Golden Retriever com cascos." ™

Kneis entrou para o negócio dos cavalos de uma forma estranha. A sua mulher Elaine convenceu-o a ir assistir a um espectáculo equino, fora de Houston e, sem saber, pegou numa placa de licitação. Quando um bonito Árabe apareceu em leilão ela entregou a placa ao Doug e disse: "Eu quero aquele!"
Doug Kneis no campo em Appleby
Com um cavalo agora a fazer parte da família, eles decidiram comprar alguns hectares e contruir um celeiro. Talvez não seja a forma tradicional de entrar no negócio de rancho mas para eles resultou.

Um dia o Doug estava na casa de pasto para comprar alguns regalos para o seu novo cavalo quando viu um pacote com o desenho de um cavalo magnífico com umas longas e esvoaçantes crinas e cauda.
“Que tipo de cavalo é esse?” perguntou ao dono da loja. “Não sei”, foi a resposta, “Mas realmente é bonito!” A imagem do cavalo permaneceu com o Doug e quando chegou a casa ligou para a empresa que produzia o regalo equino e perguntou-lhes sobre o cavalo na caixa.

“Chama-se um Gypsy Vanner” foi-lhe dito, “e há alguns na América mas a sua maioria são os Ciganos da Europa que os têm", foi a resposta que obteve, e desde esse momento Doug Kneis basicamente deixou o seu emprego na indústria petrolífera e tornou-se um cavaleiro.

Aprendeu depressa que lidar com viajantes Irlandeses e Escoceses ou com Ciganos do Leste Europeu era muito difícil. Em primeiro lugar, não existe registo escrito da raça. Do Vanner pode ser encontrado o rasto nos Clydesdales, póneis Highland, Friesiano, Shires e sabe-se lá em que mais. Os Ciganos comprometeram-se a criar um cavalo de caravana perfeito. Tinha de ser muito forte. Tinha de ser pequeno, não mais do que 15 palmos de altura. O seu temperamento deveria ser amigável e cativante. Se um cavalo hesita com o ruído do trânsito ou se não consegue estar sossegado com crianças a brincar por perto, o cavalo é vendido. Afinal, a sua vida vai ser passada a puxar a casa de uma família nessa carroça cigana. E, sim, tinha tinha de ser espectacularmente bonito!

Depois lá está o velho ditado: "O Ouro Cigano não tine nem brilha, cintila ao sol e relincha no escuro." Junte a isto um senso comum de que todos os Americanos são ricos e não têm muito sentido equino e o Doug descobriu que se ele gostar de um cavalo, o seu preço dispara pelo limpo céu do Norte Britânico. Agora o Doug desloca-se à Feira Equina finge desdenho sobre qualquer cavalo que vê, enquanto agentes secretos compram os cavalos por ele.

Hoje no seu pequeno empreendimento perto de Katy, no Texas, não longe dos arranha-céus ou de Houston, um rebanho de cinquenta Gypsy Vanners brincam nas verdes pastagens do Rancho Magnolia. Agrado à vista de quem passa por perto.

O Doug jura que nunca intencionou meter-se no negócio equino tão profundamente; simplesmente aconteceu. Esse primeiro comprado levou a outro, depois a outro, e antes de se aperceber as pessoas pessavam por lá a perguntar o que era aquilo com patas peludas e cauda esvoaçante. Os verdadeiros vaqueiros e rancheiros nos arredores de Katy dificilmente percebiam. Um disse: "Porquê? Custam tanto quanto um carro desportivo!", e isso deu uma ideia ao Doug. Ele alugou uma cabine num prestigiado espectáculo automóvel de luxo em Nova Iorque e enviou alguns dos seus garanhões para a "Grande Maçã" (Nova Iorque). Enquanto os homens faziam milhas à volta dos Ferraris e Maserattis, as mulheres e os miúdos ficavam nas barracas e acariciavam os Gypsy Vanners. Finalmente um deles marchou pela carpete vermelha para a sua vez no leilão. Francamente ninguém pensou que eles iriam vender-se, mas pelo menos parecia uma boa oportunidade entre os leilões dos carros de alta potência. Enquanto um magnífico garanhão chamado "Warlock" permanecia de forma real no palco, a licitação disparou $45,000...50...60...80, finalmente $125,000. O Doug Kneis apercebeu-se, em Nova Iorque, num refinado espectáculo automóvel, que realmente estava no negócio dos cavalos.

Hoje ele vende cavalos de $13,000 a bem acima dos $100,000, a pessoas que são verdadeiros rancheiros ou que o querem ser. Não é raro ter alguém a querer fazer uma aquisição e a pedir ao Kneis para acolher o seu cavalo até terem o seu celeiro construído ou, em alguns casos, até comprarem um rancho para isso.

Os cavalos parecem um brinquedo de criança, o que levou muitas meninas a encontrá-los na internet e escrever ao Doug a pedir um pelo Natal. Recentemente, uma menina escreveu a dizer que tinha visto uma foto do Warlock na Internet e que tinha juntado até $300 para o comprar.

O Doug e a Elaine adoram exibir os seus cavalos e na realidade detestam vender um. Como os Ciganos, o ouro deles não tine nem brilha, cintila ao sol e relincha no escuro.


Gerald R. Wheeler

Gerald R. WheelerGerald R. Wheeler é uma nova adição ao quadro de pessoal da MVP. É importante ter boas fotos que verdadeiramente representem a magia desta raça e Gerald certamente faz isso por nós. Gerald é um poeta de renome mundial e fotógrafo equino. Vive em Katy, no Texas, com a sua mulher Carol.

Ele só pode fotografar os cavalos que a MVP já importou para o Texas, por isso não o culpe por algumas das fotografias "mais ou menos" que tirámos na Europa. Gerald ganhou muitos prémios pelo seu trabalho e a MVP é afortunada por o ter no nosso pessoal. Se alguém o quiser contactar com relação à sua fotografia, visite www.runningcolours.com